Logo Alfaro
Fale com o Alfaro
Promovendo cidadania com informação
banner Alfarobanner Alfarobanner Alfaro

Minha Mãe, Minha Amiga, Minha Filha

terça-feira, 04 de Fevereiro de 2014 | 12:17

Há pouco mais de uma semana perdi minha Mãe, Alfa Amaral Alfaro, que faleceu com a idade de 85 anos. Natural de Santa Vitória do Palmar veio para Rio Grande no inicio da década de 50, acompanhando meu Pai Alberto Ireneo Alfaro, que deixava sua então profissão de tratador de cavalos de corrida, para trabalhar como operário na Refinaria de Petróleo Ipiranga. Morávamos junto à tela da Empresa e lembro que os tempos eram de dificuldades, porém jamais tivemos qualquer necessidade maior, a Refinaria já cuidava da família de seus trabalhadores com programas sociais até hoje marcados em nossas vidas.

Além de mim, nossa família era completada com meu irmão Luiz Carlos. Fruto do trabalho obstinado do meu Pai, homem que jamais aceitou o que o destino parecia ter-lhe reservado, iniciamos os estudos num colégio estadual para na quinta série sermos matriculados em escolas particulares, por insistência da nossa Mãe, que era particularmente severa com relação ao aproveitamento nos estudos. Posteriormente, veio juntar-se ao nosso núcleo Carmen Lenira de Ávila Pinto, também de Santa Vitória. Afilhada dos meus pais criou-se junto conosco, como irmã e filha. De espírito alegre, minha Mãe sempre reuniu pessoas ao seu redor, indo para a cozinha preparar gostos pratos para todos. Vinda de uma família de 13 irmãos incutiu-nos a necessidade de valorizarmos os amigos e vizinhos, respeitar a todos, especialmente os professores e os idosos. Desde sempre tinha uma preocupação com os outros, desenvolvendo ações de solidariedade pela vida inteira. Inicialmente, recebendo em nossa modesta residência parentes e amigos, que vinham de Santa Vitória em busca de assistência médica, passeio ou estudos, inclusive, muitos concluíram faculdade com o apoio indispensável da “Tia Alfa”.

Conterrâneos “mergulhões” denominavam-na de “Consulesa de Santa Vitória” como uma homenagem por toda essa trajetória de identificação com seu torrão natal e de transformar a sua residência numa verdadeira casa de passagem, consulado informal. Desde a fundação do “Movimento Solidário Colméia”, aqui em Rio Grande, tornou-se ativa voluntária e liderança inconteste, aceitando até meses antes do seu passamento todas as funções que lhe foram confiadas.

No blog e também no nosso “Folha Gaúcha” ocupei-me em artigos e crônicas, denominados “Ensaios sobre a Velhice”, em relatar experiências maravilhosas vivenciadas com a minha querida Mãe, onde relato esses quase sessenta anos de convivência, onde tive o prazer de exercer três papéis: filho, amigo e pai, nestes últimos anos. Registrei a Ela muitas vezes, inclusive, no final de que a sua vida foi uma daquelas dignas de ser vivida, que efetivamente valeram à pena.


Escrito por Alberto Amaral Alfaro

Comentários (0) | Indicar um amigo


^ topo

QUEM SOU

Alberto Amaral Alfaro

natural de Rio Grande – RS, advogado, empresário, corretor de imóveis, radialista e blogueiro.

ENTREVISTAS

O QUE EU LEIO

ÚLTIMAS 10 POSTAGENS


Ouça a Rádio Cultura Riograndina

ARQUIVOS

WD House

Blog do @lfaro - Todos os direitos reservados